Boessio briga pela pole no Top e parte da terceira fila em Londrina

Régis Boessio A pista do autódromo de Londrina (PR) sempre é de ótimo retrospecto para o gaúcho Régis Boessio na Fórmula Truck. Nesta ele já encerrou uma prova em 1º mas não levou por causa do regulamento. Hoje, novamente trabalhou bem no Classificatório, conquistou o direito de brigar pela pole no Top Qualifying e largará na quinta posição do grid. A quinta etapa do calendário que acontece no Paraná terá transmissão ao vivo pela BAND a partir das 13:00 horas de domingo (3).

Vídeo: Top Qualifying:

O Top Qualifying mostrou o grande equilíbrio da Fórmula Truck. Os oito pilotos que brigaram pela pole representam seis marcas diferentes de caminhões: Mercedes-Benz, Volkswagen Constellation, Volvo, Iveco e MAN.

Régis Boessio com as crianças do Truck Kids

Grid de largada da quinta etapa da Fórmula Truck, em Londrina:

1) Paulo Salustiano (ABF Mercedes-Benz), 1min37s400
2) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN), 1min37s580
3) Wellington Cirino (ABF Mercedes-Benz), 1min37s712
4) André Marques (RM Competições-MAN), 1min37s917
5) Régis Boessio (Boessio Competições), 1min38s192
6) Djalma Fogaça (DF Racing Fans), 1min38s322
7) Roberval Andrade (Dakar Motorsports), 1min38s406
8) David Muffato (MAN TGX), 1min41s615

Pilotos que não se classificaram para o Top Qualifying

9) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing), 1min38s618
10) Adalberto Jardim (RM Competições-MAN), 1min38s731
11) Raijan Mascarello (ABF Racing Team), 1min38s868
12) Leandro Totti (Clay Truck Racing), 1min38s931
13) Valmir Hisgué Benavides (DF Racing Fans), 1min39s685
14) Débora Rodrigues (RM Competições-MAN), 1min39s851
15) Pedro Muffato (Muffatão Racing), 1min40s311
16) Alex Fabiano (ABF Azulim Indy Truck Racing), 1min40s691
17) Joel Mendes Júnior (Fábio Fogaça Motorsports), 1min40s804
18) Luiz Lopes (Lucar Motorsport), 1min41s064
19) Rogério Castro (ABF Racing Team), 1min41s495
20) Beto Monteiro (Lucar Motorsport), sem tempo

Uso dos restritores

A decisão pela modificação no regulamento técnico do uso dos restritores foi tomada em conjunto pelas equipes, pilotos e organização da Fórmula Truck na corrida de Campo Grande, Mato Grosso do Sul e colocada em prática pela primeira vez neste treinamento em Londrina.

Com essa definição, a partir de Londrina e até a penúltima corrida, marcada para dia 6 de novembro em Guaporé, Rio Grande do Sul, o líder na classificação geral (Diogo Pachenki) que usar o restritor de 70mm vai perder cerca de 140 cavalos de potência, o segundo colocado (72mm) deixa de usar 120 HP, o terceiro (74mm) cerca de 100 cavalos, o quarto, David Muffato, 76mm, em torno de 50 e o quinto colocado (Alex Fabiano) aproximadamente 30 HP.

Enquanto isso, os três Iveco ganham 50 cavalos. Caso os pilotos dos Iveco se posicionem entre os cinco, usarão normalmente os restritores previstos pelo regulamento. Todos os outros caminhões do grid mantêm a potência dos motores. A exemplo do ano passado, na decisão do título, dia 4 de dezembro em Curvelo, Minas Gerais, todos os pilotos estarão sem restritores, portanto, em igualdade de condições.

Sistema de pontos

As corridas são divididas em duas fases, cada uma distribuindo 25 pontos ao ganhador, o que totaliza 50. Além disso, três pontos de bonificação também estão em jogo. Um pela pole position, que é definida no sábado à tarde, e mais um para quem fizer a volta mais rápida em cada fase.

Os outros pontos são divididos em cada uma das duas fases da seguinte forma: o segundo colocado fica com 22, o terceiro 20, o quarto 18, o quinto 16, o sexto 15, o sétimo 14, o oitavo 13, o nono 12, o décimo 11, o décimo primeiro 10, o décimo segundo 9, o décimo terceiro 8, o décimo quarto 7, o décimo quinto 6, o décimo sexto 5, o décimo sétimo 4, o décimo oitavo 3, o décimo nono 2 e o vigésimo colocado 1 ponto.

—————————————————-
Com informações de Milton Alves, imagens de Luciana Flores e MasterTV/CATVE.