O pódio inesquecível de Régis Boessio na Fórmula Truck

As lágrimas de Régis Boessio no pódio da Fórmula Truck no Rio de Janeiro na abertura do Campeonato Brasileiro neste domingo, 03 de abril, têm motivos marcantes. Primeiro, o piloto perdeu neste final de semana sua vó materna que faleceu aos 90 anos de idade; segundo, a premiação a um piloto obstinado que, junto com seu pai Beto Boessio, tem a paixão pela categoria de caminhões que só pode-se imaginar semelhante com a do já saudoso Aurélio Batista Félix, criador da Fórmula Truck e incentivador primeiro de Régis Boessio. Após passar por caminhões Iveco, Ford e Volvo, foi com um Mercedes Benz que Régis Boessio conquistou o pódio na segunda etapa da temporada 2011 da Fórmula Truck.

“É muito bom, depois de final semana cansativo de muito trabalho de toda a equipe, é uma premiação que não é só minha, mas principalmente deste time que deixou o caminhão nesta condição excepcional. Agradeço a equipe pelo empenho e faço um agradecimento especial a Recrusul, a Rodrigoto e Suspentech que são meus patrocinadores na F-Truck. Consegui administrar bem a corrida, tínhamos uma expectativa de muitos abandonos, foram além do esperado até, o caminhão surpreendeu positivamente, muito rápido e consistente. Se por um lado vivo um final de semana triste com o falecimento da minha vó, por outro fui abençoado com meu primeiro pódio na Fórmula Truck. Acredito esteja ela onde estiver deve estar comemorando comigo como sempre fazia quando estava entre nós”, disse o piloto Régis Boessio em meio a muitos cumprimentos após a prova e a comemoração no pódio.

O final de semana da Fórmula Truck teve a vitória de Geraldo Piquet, em segundo Wellington Cirino, os dois mais Boessio em quarto garantiram três caminhões Mercedes no pódio. Teve ainda João Maistro com Volvo na terceira posição e Beto Monteiro com o Iveco em quinto lugar. Em sexto lugar fechou Leandro Totti com outro Mercedes Benz e que é companheiro de Régis Boessio na ABF Desenvolvimentos Team. Outro fato marcante da conquista do pódio de Régis Boessio é novamente a presença de um caminhão bicudo entre os primeiros colocados, numa época em que todos os caminhões são cara-chata, é um diferencial chegar a esta colocação com o bólido que exige preparação específica.

Desde o começo da temporada em Santa Cruz do Sul (RS) o gaúcho Régis Boessio vem se destacando, neste final de semana no Rio de Janeiro não foi diferente, o treino classificatório que definia a posição no grid de largada, sábado, um erro quase ao final de sua volta rápida impediu a certa presença no top qualifying que premiaria o pole position. No final do treino ainda cabisbaixo com o erro no momento indevido disse, ‘agora é levantar a cabeça e fazer uma corrida de recuperação’, e fez, saiu da 18ª posição do grid para o quarto lugar no pódio.

Resultado final da Fórmula Truck em Jacarepaguá:

Pos Nº Nome Truck Tempo

1 3 Geraldo Piquet M 31 voltas em 1h00min49s171;

2 6 Wellington Cirino M 31 voltas a 0s438;

3 14 João Maistro V 31 voltas a 1s752;

4 83 Regis Boessio M 31 voltas a 4s913;

5 88 Beto Monteiro I 31 voltas a 8s625;

6 73 Leandro Totti M 31 voltas a 23.859;

7 77 André Marques V 31 voltas a 36.422;

8 20 Pedro Muffato S 31 voltas a 1:03.318;

9 32 Luiz Pucci V 31 voltas a 1:38.110;

10 99 Luiz Lopes S 30 voltas;

11 71 Cristina Rosito F 30 voltas;

12 11 Diumar Bueno V 30 voltas;

13 45 Leandro Reis S 30 voltas;

14 7 Debora Rodrigues W 23 voltas;

15 70 Danilo Dirani F 23 voltas;

16 55 Paulo Salustiano I 22 voltas;

17 1 Roberval Andrade S 20 voltas;

18 9 Renato Martins W 19 voltas;

19 2 Valmir Benavides W 12 voltas;

20 50 Fred Marinelli I 9 voltas;

21 12 Zé Maria Reis S 4 voltas.